DIA DE AÇÃO DE GRAÇAS

Hoje se comemora o Dia de Ação de Graças. Conhecido em inglês como Thanksgiving Day, é um feriado celebrado nos Estados Unidos e no Canadá, observado como um dia de gratidão a Deus, com orações e festas, pelos bons acontecimentos ocorridos durante o ano. A data é comemorada na quarta quinta-feira do mês de novembro.

O primeiro deles foi celebrado em Plymouth, no estado de Massachusetts, pelos colonos que fundaram a vila em 1620, no ano seguinte, depois de más colheitas e inverno rigoroso, os colonos tiveram uma boa colheita de milho no verão de 1621. Por ordem do governador da vila, em homenagem ao progresso desta safra em anos anteriores, a festa foi marcada no início do outono de 1621. Homens de Plymouth mataram patos e perus. Outros alimentos que faziam parte do cardápio foram peixes e milho. Cerca de noventa índios também participaram do festival. Todos comeram ao ar livre em grandes mesas.

Essa data me lembra muito meus tempos de criança, quando minha avó reunia em seu apartamento, os netos para a montagem da árvore de Natal. Bem, não era bem uma montagem de árvore que fazíamos. Era mais uma bagunça de bolas, árvore, luzes, guirlandas, presépio, e outros objetos que compunham o cenário. Afinal, minha avó tinha 17 netos, na época em que faleceu. E quando os quatro mais velhos se juntavam, era sinal de muita bagunça, diversão, risadas e alguns planos arrepiantes.

Vovó preparava um lanche, com todas as guloseimas que só avó sabe fazer, provocando arrepios às mães e,  hoje, os maníacos por dieta, sem glúten, sem lactose e outras bobagens que naquela época, não eram tão condenadas e faziam nossa alegria, morreriam!

O combinado era um lanche da tarde, por volta das 16 horas. Alguns de nós saíamos do colégio, e partíamos para almoçar na casa dela e depois já estávamos no quartinho dos fundos, mexendo nas caixas enormes que ela tinha guardado. Todo ano, depois do Dia de Reis, tínhamos a preguiça de ir desmontar tudo, pois sabíamos que teríamos que desmontar limpar, embrulhar, guardar, lacrar, nomear as caixas, para no fim do ano, pularmos de alegria para a montagem nova.

Minha avó, cada ano fazia uma nova decoração na árvore e casa. Talvez seja por conta disto, que eu tenho essa mesma mania. Nunca repetíamos a decoração. Eram algumas velhas que se misturavam com novas bolas de cores, materiais e formatos. A árvore sempre verde era enorme. Bem, ao menos para mim, que era baixinho e gordinho. Mas anos depois, vi que ela na verdade tinha 1,80m e que já não era assim tão assustadora.

Naquela época as bolas da árvore, eram feitas com um material que além de quebrar fácil, cortava e sangrava. Por isso, tínhamos que ter muito cuidado e prestar muito a atenção para não deixar cair e cortar os nossos pés ou de um dos primos menores. A montagem era uma verdadeira farra. Não tínhamos um comprometimento de deixá-la linda e maravilhosa para estampar a capa da revista QUEM. Nossa preocupação era fazê-la divertida, colorida, com detalhes que nossa imaginação fértil, achava certa. Lógico que depois ela com certeza dava o toque dela e mudava algumas coisas, deixando parecer que nós que tínhamos feito aquela maravilha iluminada!

Depois da árvore montada, era a vez do presépio. Vovó tinha um presépio enorme! Tinha a Sagrada Família, os Reis Magos, os camelos, vaca, burro, anjo, cabana, patinhos e montávamos numa arca enorme, que era destinada a essas peças. Todas as peças foram pintadas por ela, que fazia aula de “decapê”. Infelizmente, não sei que fim levou esse Presépio. Mas, eu tenho a Sagrada Família, que ela pintou para mim, um ano antes de falecer. Estão perfeitas até hoje. Monto todo ano.

Depois da morte da minha avó, o Natal perdeu um pouco da graça. Mas, eu mantenho um pouco dessa tradição. Pego meu sobrinho desde pequeno, combinamos um lanche na casa da mamãe e começamos a armar a arvore e montar nossa Sagrada Família. Sempre com a mistura de enfeites antigos e velhos. Guirlandas cheias de laços de fitas, bolas e cores. Rimos e lanchamos algumas das mesmas guloseimas que minha avó fazia. Volto à viver as delicias de uma infância feliz, em que existia o verdadeiro valor de família e Natal. Talvez, em muitas casas,  não seja essa a data da montagem da árvore, mas na minha è a desculpa perfeita para estarmos juntos e agradecendo por mais um ano juntos!

Feliz Dia de Ação de Graças!

 

 

 

Anúncios